sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Corte permanente nos salários



Medidas do governo para tornar permanentes os cortes salariais na função pública, deverão ser aplicadas até ao fim do ano, refere relatório da Comissão Europeia. Estas são algumas das consequência da décima avaliação da troika ao programa de ajustamento.

Enquanto isto acontece em Portugal, na Alemanha, Merkel, desce a idade da reforma dos alemães e aumenta os salários.

Para a elite  ou oligarquia alemã que não desiste de dominar a Europa e que menospreza os países do Sul,  "Portugal é uma pobre nação, triste e sem alma vítima do euro e da globalização." Foi este o caminho da dependência vergonhosa que os nossos sucessivos governos escolheram e bem assim, outros governos da Europa, alcunhados pejorativamente de PIGS... e  “é decepcionante” que os países do Sul não juntem forças para desafiar “o domínio alemão” e propor alternativas," como refere o economista da Universidade de Kingston, Engelbert Stockammer.

Pós texto:
Em Portugal, como se vê, baixam-se salários e aumenta-se a idade da reforma. Na Alemanha sobem-se os salários e desce-se a idade da  reforma. E a senhora Merkel (muito solidária) assobia para o ar com as desgraças alheias...ou melhor, com as desgraças dos "súbditos" dos países do Sul, cuja história e experiência teriam sido suficientes para os livrar de uma UE, espúria, liderada pela bota germânica que agora não se atrevem a descalçar...

1 comentário:

  1. Os portugueses incapazes de fazerem reformas culpam que as faz. Os alemães só perderam com o Euro e agora têm em mãos notas de crédito ...que podem não valer nada. Tomara outros países terem parceiros comerciais e investidores como nós temos a Europa e os alemães.

    ResponderEliminar

Os comentários serão publicados após análise do autor do blogue.