sábado, 31 de outubro de 2009

O impensável aconteceu ou o rescaldo da vitória


Dei algum apoio ao Juiz Ataíde, através da blogosfera; discreto, algumas vezes, outras vezes bem explícito, para motivar os figueirenses a votar nele; fiz referência à sua profissão e à do patriarca F. Tomás, procurando estabelecer uma analogia entre os principios que enformam qualquer homem de leis, sublinhados ainda pelo facto de serem ambos da mesma terra,embora de épocas diferentes. A Figueira, seguramente, não podia continuar como estava. A postura do Dr. Juiz, o seu empenho, a novidade e o Movº. 100% que retirou muitos votos ao PSD, que ninguém tenha dúvidas, fizeram dele um vencedor. Só com o PS a vitória não era exequível, tanto mais que as dissenções e desentendimentos partidários puseram em risco várias vezes o êxito da campanha. E o que se conseguiu após tanto esforço, foi abastardado, no último momento, numa votação em que um eleito por maioria, viu fugir a presidência da Assembleia Municipal, por traição pura e simples de alguns dos seus pares. Senão vejamos:
EELEITOS PS, icluídos os P. de Junta: 19
Idem PSD : 16
Movº. 100%: 5
CDU : 1
BE : 1
VOTAÇÃO
PSD : 20
PS: 17
Movº 100%: 5
Brancos ou nulos: 2
DE ONDE SE CONCLUI:
Houve dois votos em branco, um da CDU outro do BE que não iam, obviamente, votar nos seus "arqui-inimigos"; houve dois votos de presidentes de junta, independentes, que foram para o PSD e outros dois do PS que votaram também no PSD o que deu a vitória a Vitor Pais, ficando o Dr. Tovim desfeiteado com esta atitude inverosímel.
Dou por findo o meu modesto contributo, para esta vitória, ora ensombrada, pelas tricas e ambições partidárias de pessoas, cujo intento é servirem-se a si próprias. Este acto é um aviso ao presidente eleito para que saiba de uma vez por todas que no partido que representa (e não só) há muita gente que não é flor que se cheire, nem de perto nem de longe, e que o tão apregoado amor à Figueira não passa de um chavão para conseguirem os seus intentos ou ostentarem o seu penacho!...

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A Gripe " A" matou Adriano


"A morte súbita do menino de dez anos infectado com o vírus H1N1 - e com uma doença cardíaca que só a autópsia revelou - não podia ter sido evitada." - Jornal Público
Estas foram as palavras da Ministra da Saúde que, obviamente, sabe o que diz. Mas o que poderia ser evitado é que os próceres deste mundo em que vivemos, tivessem criado uma doença, in-vitro, cujos objectivos são mais do que duvidosos, que escapou, aparentemente, ao seu controlo e poderá provocar uma pandemia, cujas consequências são difíceis de prever. Ver aqui e aqui.

A saga continua


MP inclui Vara numa "rede tentacular"

"Foi este ano, a 25 de Maio, que, segundo o Ministério Público de Aveiro, Armando Vara terá recebido de Manuel Godinho, empresário detido na "Operação Face Oculta", dez mil euros em dinheiro. O encontro entre ambos ocorreu num gabinete que Armando Vara utilizava enquanto vice-presidente do Millennium bcp. Este é um pormenor que consta do despacho do MP de Aveiro que ordenou as buscas desta semana. No documento, Vara é incluído numa rede tentacular que tinha como objectivo favorecer os negócios de Manuel Godinho junto das maiores empresas participadas pelo Estado. A investigação assenta, sobretudo, em factos ocorridos este ano. "- DN

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Tomada de posse do XVIII Governo Constutucional

(Foto-Lusa)

"O novo Governo, chefiado pelo primeiro-ministro José Sócrates, reuniu ao início da tarde pela primeira vez em Conselho de Ministros, depois de esta manhã o Presidente da República ter empossado o novo executivo."-LUSA".

Acima estão as caras do novo executivo que tomou hoje posse.

As expectativas são muitas. Aguardemos, serenamente, para ver os resultados!.


Ainda Saramago


Tendo acabado de ler o livro, Caim, de José Saramago, considero que não passa de um exercício de demagogia e um libelo contra Deus, quiçá, contra os homens em que os relatos eróticos e sensuais são o seu principal condimento. Ser descrente é uma coisa, mas um escritor da sua craveira, que põe em causa, sobretudo, da maneira que o faz, a religião e a fé de milhões de pessoas é outra bem diferente.
Na introdução tem a seguinte citação bíblica: "Pela fé, Abel ofereceu a Deus um sacrifício melhor do que o de Caim. Por causa da sua fé, Deus considerou-o seu amigo e aceitou com agrado as suas ofertas. E é pela fé que Abel, embora tendo morrido, ainda fala"-(Hebreus, 11;4). Saramago, acrescenta: LIVRO DOS DISPARATES.
Há aqui duas questões que importa desde já realçar:
-Pela fé, Abel ofereceu um sacrifício a Deus;
-Este (sacrifício) era melhor do que o de Caim.
Ora, Saramago, deveria saber, e sabe, com certeza, que esta fé apontava metafóricamente, para o cordeiro, Cristo, que muitos anos mais tarde se deixaria imolar, para redimir os homens. Existem inúmeros relatos semelhantes no Velho Testamento que apontam, simbolicamente para o sacrifício de Cristo no Gólgota. Se Caim, em vez de um cordeiro, como fazia Abel, oferecia coisas do campo, dado que era agricultor, é evidente que não cumpria com o ritual sagrado. Por isso Deus gostava mais de Abel do que Caim o que levou este, por ciúmes, a matar o seu irmão. Se considerarmos que o livre arbítrio é uma das prerrogativas concedida aos homens pelo Criador, a diatribe de Saramago, acabaria logo aqui e não teria necessidade de acusar Deus de um homicídio de que só Caim fora responsável. Mas não. O escritor espraia-se entre relatos, esses sim disparatados, de orgias que surpreendem num homem de tão provecta idade, e crónicas malsãs, devido a uma interpretação literal, errada e deliberada da Bíblia. O livro acaba com o relato da Arca em que Caim mata Noé e os familiares deste, sendo o único sobrevivente do dilúvio, procurando, deste modo, numa raiva persecutória vingar-se de Deus a quem, no dia que matou o seu irmão Abel, jurara também matar.
É estranha a atitude de Saramago e não se percebe tanta sanha contra um Deus que, segundo ele, não existe. Será apenas o lucro o motor desta questão? Especular com coisas sérias é grave. Mas, conspurcar assim a Bíblia, lida e respeitada por milhões de cristãos é mais grave ainda.
De uma coisa ficamos cientes: é que o livro do increu estalinista, por trinta dinheiros, (traição que não o afecta minímamente) bem poderia ter ficado no lugar das coisas inúteis que é o cesto dos papéis. Mas, para quem o ler, o tal cesto é imprescindível, para fazer uma higiene mental adequada e ficar de bem com a sua consciência.
(Sacado daqui)

sábado, 24 de outubro de 2009

"Carmina Burana" no CAE

(Clicar na imagem)
Da Agenda Cultural do CAE extraímos o seguinte:
Grande Auditório-30 de Outubro, 21H30
A Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional de S. Carlos interpretam a obra prima de Carl Orff, "Carmina Burana".

"Carl Orff, um dos mais destacados compositores do século XX, inspirou-se numa colecção única de poemas, textos e manuscritos dos clérigos medievais e estudantes errantes, que foi encontrada num mosteiro da Baviera, no início do século XII, para compor "Carmina Burana". Os poemas, escritos na sua maioria em latim, incluem canções de amor, de taberna, sátiras e canções estudantis que fazem o elogio dos prazeres carnais e da vida desregrada. A primeira apresentação de "Carmina Burana" teve lugar na Ópera de Frankfurt, em Junho de 1937, com enorme sucesso.
Esta será, sem dúvida, uma noite memorável."

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

O novo Governo


O novo Governo toma posse 2ª. feira às 12h00 no palácio da Ajuda, segundo nota divulgada hoje no "site" da Presidência da República.

A propósito do novo governo não deixa de ser curioso o excerto que a seguir se publica vindo à estampa no DC de hoje na sua rubrica NACIONAL:

"José Sócrates, que apresentou ontem a composição do XVIII Governo Constitucional, depois de uma vitória com maioria relativa nas eleições de 27 de Setembro, define-se como um social-democrata de centro esquerda e um político sanguíneo".

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

O reencontro de um amigo


Ao fim de 46 anos, depois de estarmos em Angola em 1961/63, integrados na C.Artª.87, aconteceu, inesperadamente, o encontro via Internet.
A fotografia acima é do meu ex-camarada de armas, furriel milº de Artª, António Oliveira Gomes que se encontra há mais de 30 anos a residir no Canadá.
Nunca veio aos convívios anuais dos ex-militares da sua Companhia por não ter conhecimento dos mesmos. As cartas que lhe enviávamos para Lisboa eram sempre devolvidas ao remetente. Ninguém sabia do Gomes. Alvitrava-se mesmo que já teria morrido, mas recusei sempre essa hipótese. Felizmente tinha razão. O Gomes teve a feliz ideia de abrir uma galeria de fotografias no "flickr do Yahoo!., tiradas em Angola e, numa pesquisa habitual, online, acabei por encontrá-la.
Através de mails que se seguiram o contacto foi emocionante e teve dois aspectos. Um o da anterior tristeza e desencanto de termos perdido o rastro de um amigo. O outro, a alegria de o termos encontrado por fim, quase no fim da "picada". O desenlace destas cenas da vida real nunca escapa a esta ambivalência!
Vamos desfrutar da presença deste nosso amigo no próximo convívio de ex-combatentes na Figueira da Foz, como há muito ambicionávamos.
Até lá, Gomes, com um grande abraço de todos os teus camaradas!...

Ver aqui a "Galeria de Gomes C.Artª.87.

terça-feira, 20 de outubro de 2009


Foi com esta imagem do Coral "Cantigas de Tavarede," do qual faço parte, que em 11 de Fevereiro deste ano dei início ao presente blogue que já conta 10.000 visualizações, até ao momento, ao fim de pouco mais de oito meses. Teve, assim, cerca de 1.250 visitas mensais.

Não sendo um número demasiado elevado excedeu, todavia, as minhas expectativas. O post com mais procura foi: "A parábola do Bom Juiz", editado no pretérito dia 16 que teve no primeiro dia, mais de 160 visitas.

Perdoai-lhes, Senhor, porque não sabem o que escrevem!


Saramago o Nobel português, continua a dar nas vistas com a publicação do seu novo romance, Caim. Um livro polémico, irreverente e, mais do que isso, maldizente, que põe em causa a religião e o sentimento de milhões de portugueses. Considera, ainda, a Bíblia, um manual de maus costumes.
............................................................................
Melhor fora a este incréu que falasse do seu verdadeiro "deus", Estaline, causador de milhões de vitimas, como ditador que foi da URSS durante 1922/1923 e pusesse a nu a sua verdadeira religião: o comunismo.
Mas quanto a isso estamos conversados.
Resta dizer, parafraseando S. Lucas, 23:34: perdoai-lhes Senhor, porque não sabem o que escrevem!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

A Parábola do Bom Juiz

(O Senhor do Reino)

Ontem contaram-me uma história a que hoje dou o título de a parábola do bom Juíz:
Havia uma vez uma linda terra do litoral que fazia parte de um reino muito antigo à "beira mar plantado". Nessa terra vivia um homem a quem o Senhor do Reino deu alguns talentos para promover o progresso do lugar e o bem estar dos seus habitantes. Mas esse homem escondeu parte desses talentos na areia e outros deixou-os desaparecer nas mãos de alguns "salteadores", pelo que não havia progresso nenhum na terra, deixando os seus habitantes muito infelizes. Sabendo disto e cada vez mais descontentes as gentes da terra organizaram-se em facções, pondo à frente de cada uma delas, alguns homens mais importantes para porem fim ao descalabro que se adivinhava.

Houve um grupo de homens bons que se lembraram de um juiz seu amigo que andava há alguns anos longe da sua própria terra e chamaram-no para defender a sua causa. Depois de muita discusão durante alguns dias, sobre o que fazer ao perdulário dos talentos, tomaram uma decisão num dia de pleito, previamente combinado, a que chamaram dia de eleições. Assim que estas terminaram saíu vencedor o grupo do juiz, tendo afastado o mau servo e os seus acólitos, sendo substituídos pelo grupo dos homens bons. E ficaram todos muito contentes. Mas, o Senhor do Reino, ao ter conhecimento de tal proeza, mandou chamar à corte o vencedor do pleito. Como havia um súbdito que fazia leis de "olhos fechados", o que permitia abrir as portas da prisão aos ladrões do Reino, nomeou administrador-mor da Justiça o Bom Juiz que acabara de fazer tão bom serviço na sua terra.

E, assim, todos ganharam, porque no Reino começou a haver melhor Justiça; o Juiz foi fazer aquilo que mais gostava de fazer e os habitantes da bela terra do litoral, ficaram com homens bons, capazes de a fazer progredir e com a legítima esperança do seu amigo Juiz interceder, junto do Reino, pelo cantinho aonde viviam.

Eis a parábola do Bom Juiz que poderá ter um final idêntico nos nossos dias.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Da superioridade Moral


(Polanski e Berlusconi)-Por: Nuno Garoupa
....................................................................................................................................
Polanski, um grande realizador das últimas décadas e um homem marcado por uma vida feita de tragédias, violou uma criança de 13 anos na Califórnia. A Califórnia é um Estado de Direito democrático (muito antes de Portugal o ser). Graças ao seu estatuto profissional, ao seu vasto património e à cumplicidade das elites culturais e intelectuais nos dois lados do Atlântico, escapou à Justiça.

(2) Berlusconi fez uma lei de imunidade para as quatro altas figuras do Estado italiano (Presidentes da República, do Conselho de Ministros e das duas Câmaras do Parlamento italiano). Essa lei foi aprovada por um Parlamento legítimo e eleito democraticamente. Essa mesma lei foi declarada inconstitucional de forma absolutamente legítima pelo Tribunal Constitucional no cumprimento dos poderes que tem....

Mas a comunicação social portuguesa na sua ânsia de informar disse mais (na verdade, presumo que limitou-se a divulgar os textos das agências noticiosas internacionais). Ficámos a saber que os argumentos de Berlusconi eram meramente políticos enquanto os argumentos contra a lei eram fundamentalmente jurídicos (entenda-se que o jurídico é misteriosamente melhor que o político). Existem juízes constitucionais italianos nomeados por Berlusconi que pelos vistos lhe eram favoráveis. Os procuradores que defenderam a constitucionalidade da lei trabalhavam para Berlusconi, os procuradores contra a constitucionalidade da lei tinham apenas o interesse público em mente.

O facto de algumas democracias governadas por gente muito séria terem leis semelhantes não interessa. O facto da esmagadora maioria dos juízes constitucionais terem sido nomeados por Prodi e outras altas personalidades de esquerda é irrelevante (porque apenas a nomeação por Berlusconi compromete a independência). O facto de alguns desses procuradores que fazem o seu trabalho em nome do interesse público terem desempenhado cargos de natureza política em governos de esquerda é pouco importante (porque só os cargos públicos nos governos de direita contaminam a separação de poderes e as magistraturas italianas). Que o princípio da igualdade perante a lei seja tão político como jurídico é insignificante (porque os argumentos de Berlusconi são naturalmente sujos e moralmente inferiores).

Ainda bem que o Tribunal Constitucional italiano decidiu como decidiu. Com boas razões éticas, morais, políticas e jurídicas. Foi sem dúvida uma decisão moralmente superior e na independência da sua jurisdição. Como o teria sido a decisão contrária. A legalidade e constitucionalidade da decisão do Tribunal Constitucional italiano advém do respeito pelo seu ordenamento jurídico e do Estado de Direito, e não por ser favorável à esquerda italiana e desfavorável a Berlusconi. Acho muito bem que não se goste de Berlusconi (que não podemos esquecer que foi eleito democraticamente pela terceira vez), mas os tribunais não existem para aplicar as leis consoante os gostos da casta moralmente superior. Por muito que lhes custe aceitar, a independência dos tribunais não pode definir-se pela conveniência do politicamente correcto.
Professor de Direito da University of Illinois

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Depois da vitória o trabalho ciclópico

Presidente
Vereadores PS

Vereadores Movº 100%

Esta é a equipa que vai tentar viabilizar o saneamento financeiro da Câmara, liderada por João Ataíde das Neves e relançar os projectos possíveis para o desenvolvimento do Concelho. Daniel Santos e Vitor Coelho que deram a cara, galhardamente, numa luta desigual, vão ser o fiel da balança do novo executivo. Mas por aquilo que conhecemos do seu perfil têm capacidade, seriedade e responsabilidade suficientes para colaborar com o líder Camarário no essencial para que o burgo Figueirense renasça das cinzas qual fénix.

Costuma dizer-se: "glória aos vencedores e honra aos vencidos", frase lapidar utilizada, mormente, nos meios desportivos. Só que, neste caso concreto, os vencidos foram-no pela piores razões. Não vislumbramos honra a quem tem de prestar contas, primeiro, por aquilo que de tão mau fez no seu consulado!...

domingo, 11 de outubro de 2009

O PS ganhou a Câmara da Figueira


O Partido Socialista ganhou as eleições na Figueira da Foz depois de uma longa travessia no deserto e arrebatou a Câmara ao PSD. O novo presidente da Autarquia Figueirense é JOÃO ATAÍDE DAS NEVES.
Ao fim de 214 anos temos de novo um Juiz desembargador na Câmara da Figueira. O primeiro foi Manuel Fernandes Tomás, egrégio figueirense que muito honrou a sua terra e que foi vereador entre 1795 e 1798.
Desejamos que esta vitória de João Ataide, continue a ser premonitória, como foi dito neste blogue, oportunamente, quando se candidatou, e que no desempenho das suas funções como Presidente da Câmara, tenha os maiores êxitos no sentido do desenvolvimento da sua e nossa terra e as maiores felicidades pessoais. Parabéns do Limonete que tornamos extensivos a todo o futuro elenco Camarário.


PS ............................... 37,78
PPD/PSD.................... 29,42
VI..................................18,39
PCP/PEV...................... 5,09
BE................................. 2,68
CDS.............................. 1,83
MMS............................ 0,61
Brancos........................ 2,78
Nulos............................ 1,42

Ver aqui resultados Nacionais



sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Eleições-Domingo, 11 - Dia "D" para a Figueira


Para se conseguir "dar dignidade, prosperidade, modernidade e FUTURO à Figueira", é fundamental que os Figueirenses votem noutro qualquer candidato menos em Duarte Silva, por variadíssimas razões, sem o que o Concelho continuará na senda do descalabro dos últimos oito anos por falta de visão e com capacidade duvidosa do responsável pela autarquia.
Sabe-se que em 2005 , no final do primeiro mandato de Duarte Silva, o Anuário financeiro dos Municípios Portugueses, estimava a dívida da Câmara em cerca de 50 milhões de euros. Como "as despesas correntes do Município têm aumentado de ano para ano, em cerca de 2,5 milhões de euros," isto quer dizer que decorridos quatro anos e dado que nenhum abatimento foi feito, a mesma hoje, deveria orçar os 60 milhões de euros. Mas, para espanto nosso, foi dito no último debate entre os candidatos no Casino da Figueira, no pretérito dia 7, que a dívida global da Câmara já orça os 85 milhões de euros.
Na realidade ninguém conhece o seu verdadeiro valor, mas a força avassaladora dos números apresentados é demasiada má, quiçá trágica, para ser verdadeira. Só com uma nova auditoria se irá conhecer a verdade nua e crua.
Num livro recente sobre a Figueira, na rubrica, Ordenamento do Território e Urbanismo, lemos o seguinte: "Em termos de pormenor considerámos chocante a expansão da construção no parque urbano, a construção no campo de treinos, a cércea de oito pisos no topo norte das abadias, de seis pisos ao lado do parque de campismo (Rua srª. do Areeiro)- o itálico é nosso...Até hoje estão por indagar as razões pelas quais uma empresa espanhola comprou terrenos com finalidade industrial, elaborou um projecto de ocupação urbana e desatou a promovê-los e a vendê-los, como se tal fosse legal. Que promessas e de quem foram dadas a esses investidores?... Quem negociou isto, com que interesses e contrapartidas?"...
Com uma dinâmica "apardalada", sem a emergência de projectos válidos com exequibilidade em tempo útil por falta de meios; sem propostas realistas e motivadoras que permitam a instalação de novos empresários e industriais; sem o relançamento de um turismo de ponta, adequado às realidades citadinas de modo a colmatar a indigência sazonal, a Figueira, com tal timoneiro, acabará por se afundar à beira do Atlântico, se não houver um Governo que num gesto de benevolência ponha na sua agenda obras de Estado que façam emergir as potencialidades do Concelho e dêem alguma esperança de prosperidade e emprego a todos os figueirenses.
Com o actual presidente de Câmara não vamos a lado nenhum e a prová-lo está a decadência actual do burgo, agravada com oito anos de má administração, sendo sintomático, entre as já citadas, o "Paradigma duma gestão "oculta", como foi o caso do PROCESSO DO GALANTE", o que lhe valeu ser constituído arguido em tribunal, permitindo-lhe, porém, uma lei desfasada no tempo e absurda, ser novamente candidato à Autarquia.
Seja o que for, ou seja quem for que faz correr, novamente, este homem de "sangue azul" para o cadeirão do poder Camarário, tem muita força e sabe o que faz, mas, certamente, não o fará pelas melhores razões nem no verdadeiro interesse dos Figueirenses.
Chegou a hora de todos nós, independentemente das opções partidárias de cada um, dizer, BASTA ; basta a interesses pessoais e pouco transparentes e votarmos em alguém no próximo Domingo, dia 11, mais novo, que seja capaz de lutar com garra e espírito de missão, pelo progresso e engrandecimento da Figueira e que tenha o beneplácito dos areópagos do poder. Nesta perspectiva e na conjugação deste binómio está o segredo que nos abrirá as portas do futuro. Um futuro digno da cidade do Patriarca da Liberdade, Manuel Fernandes Tomás!

(Pesquisa feita em: Figueira da Foz-Erros do passado-Soluções para o Futuro)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Debate dos candidatos no Casino


Ontem teve lugar no Casino da Figueira, pelas 22H00, o debate dos candidatos à Câmara Municipal, estando presentes todos os cabeças de lista dos partidos: PS, PSD, CDS/PP, CDU, BE e os independentes, Daniel Santos e Javier Vigo.
Com o salão de Festas completamente cheio abriu o debate, Rui Silva do BE, que respondendo à questão do endividamento global da Câmara que se avalia em cerca de 60 milhões de Euros, disse: "a dívida é astronómica no verdadeiro sentido do termo de tal forma que daria para construir um satélite. Se fosse presidente requeria de imediato uma auditoria" no que foram unânimes os outros candidatos à excepção de Duarte Silva.
-Rui Silva nas restantes questões, respondeu com um discurso inteligente, bem estruturado, pecando por ser algumas vezes demasiado contundente. Sendo um dos candidatos mais novos pode vir a ter um futuro político promissor se encontrar outro caminho para as suas ideias numa força partidária menos radical.
-Javier Vigo, pareceu ser pouco conhecedor dos dossiés camarários e optou por um discurso algo vivo e brejeiro com sotaque "espanholês, onde a única menção de nota foi o ter dito, referindo-se globalmente à situação do Concelho e à administração Camarária, e, possivelmente à apatia dos munícipes,que na Figueira, afinal não há figueiras mas sim um bananal!
-Francisca Geraldes foi a mais apagada dos candidatos sobressaindo só, um pouco ,na temática social para o Concelho.
-Silvina Queiroz teve um discurso crítico q.b., relativamente à gestão da Câmara; preocupou-se com os problemas sociais do concelho. Foi sóbria, convincente e coerente com os princípios que defende.
-Duarte Silva, divagou sem convicção, sobre as perguntas que lhe foram feitas pelo moderador da mesa, parecendo envergonhado de estar ali, nomeadamente a partir do momento em que o candidato do BE lhe disse que ele não deveria ser candidato à Câmara se, as propostas de Ferreira Leite em que os arguidos em processos em tribunal não poderiam ser candidatos, tivessem vingado.
-Ataíde das Neves bem como o seu opositor, Daniel Santos, foram, seguramente, os que mais demonstraram estar por dentro do dossiés da Câmara e das realidades do Concelho. Apresentaram programas inovadores e vontade de ultrapassar o actual status. Mas a preocupação comum é baixar a dívida pelo que nos próximos dois anos não vai haver pano para mangas para implementar grandes projectos.

Deu para ver que o cadeirão da Autarquia vai ser discutido entre estes dois candidatos, se nenhum acidente de percurso houver, com alguma tendência para Ataíde dos Santos sair vencedor, porque:

-"Meus caros concidadãos,figueirenses, sejamos pragmáticos: quem está no poder é um governo PS. Só este governo, com homens de valor e competência na Câmara da Figueira, afectos ao poder vigente, pode fazer alguma coisa nas actuais circunstâncias, pelo Concelho da Figueira da Foz. Tudo o mais são cantos da sereia a que nós já estamos habituados!...

A mulher mais sexy do mundo é...

(Foto -Revista Esquire)

"A actriz inglesa Kate Beckinsale foi considerada pela revista Esquire a mulher mais sexy do mundo. A actriz que vai contracenar ao lado de Robert de Niro no filme “Everybody’s Fine”, que estreia em Dezembro, recebeu com grande satisfação a notícia e afirmou que “tudo isto de ser considerada a mulher mais sexy é algo que tem as suas consequências”. Contudo, diz que não deixa de achar a eleição “algo ridículo”.
A actriz de 36 anos sucede assim a Halle Berry, outra actriz que costuma ser protagonista em filmes de acção."- Ver aqui Jornal I

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

O cartaz da discórdia


Vimos algures na Figueira este cartaz que gerou acesa polémica nos blogues locais e nos bastidores da política Figueirense. Permitimo-nos fazer a transcrição de um parágrafo de um desses blogues:
"Ora, não é lícito que se tivessem usado as imagens daqueles outros candidatos sem o seu conhecimento ou autorização, nem é aceitável que se utilize esse género de política."
Correcto; só que esta acção insere-se nas lutas partidárias utilizadas por todos os partidos em campanhas eleitorais e no mesmo nada se vislumbra de insultuoso, tanto quanto sabemos.
E a propósito de cartazes: que dizer de um que foi colocado pela JSD em Lisboa com a figura do 1º Ministro com um imenso nariz à pinóquio?
O atrevimento foi tal que gerou acesa polémica na Assembleia da República!
Lembram-se?

Centenário da República em 2010



Hoje é feriado e comemoram-se os 99 anos da República implantada em 5 de Outubro de 1910. Sobre o assunto respigámos o seguinte texto:

"O movimento revolucionário de 5 de Outubro de 1910 deu-se em natural sequência da acção doutrinária e política que, desde a criação do Partido Republicano, em 1876, vinha sendo desenvolvida por este partido, cujo objectivo primário cedo foi o da simples substituição do regime.Ao fazer depender o renascimento nacional do fim da monarquia o Partido Republicano punha a questão do regime acima de qualquer outra. Ao canalizar toda a sua acção política para esse objectivo o partido simplificava grandemente o seu fim último, pois obtinha ao mesmo tempo três resultados: demarcava-se do Partido Socialista, que defendia a colaboração com o regime em troca de regalias para a classe operária; polarizava em torno de si a simpatia de todos os descontentes; e adquiria uma maior coesão interna, esbatendo quaisquer divergências ideológicas entre os seus membros." - Ver aqui
Antes desta data foram ensaiadas algumas tentativas para a implantação da República que acabaram por abortar, destacando-se de entre elas a conhecida revolução dos sargentos:
"A revolta de 31 de Janeiro de 1891, também chamada a revolta dos Sargentos, foi o 1º movimento revolucionário cujo objectivo foi a implantação da República em Portugal. A revolta falhou sob a acção das forças Monárquicas da Guarda Municipal da cidade do Porto que bombardearam implacavelmente os revoltosos e teve como principal protagonista, entre outros militares o capitão, Amaral. Este ainda tentou opor-se àquelas forças, mas sem êxito. Foi preso e deportado para Angola, com alguns camaradas de armas e civis implicados na revolução."- ver aqui

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Gasolina na fogueira


"É em tempos de crise que as sociedades e os países mais precisam de referências e de líderes que estejam à altura das circunstâncias. Seria talvez pedir muito esperarmos por políticos com a dimensão de um Winston Churchill, que liderou o governo britânico durante a II Guerra Mundial. Mas merecíamos bem melhor do que o que temos.
A propósito da guerra declarada entre Belém e São Bento, os cidadãos querem normalidade institucional entre as duas figuras mais importantes do Estado, já que as guerrilhas políticas não beneficiam ninguém.
José Sócrates refugia-se em declarações institucionalmente correctas e referiu que o que o partido do Governo tinha a dizer foi dito terça-feira à noite por Pedro Silva Pereira. Mas no PS parece haver interessados em deitar gasolina para a fogueira. Enquanto o primeiro-ministro não quer alimentar polémicas, o ministro Augusto Santos Silva voltou a comentar o assunto.
Mas a declaração mais infeliz de ontem coube a Ana Gomes, que esteve com Sócrates na inauguração de um troço da auto-estrada em Sintra. Disse a eurodeputada e candidata à Câmara de Sintra que a "intervenção do Presidente encavacou todos os portugueses, porque foi patética". Esta forma de reacção política só contribuiu para atirar mais lama para este pobre pântano."

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Homenagem a Maria Almira Medina

(Maria Almira Medina no uso da palavra)

No pretérito dia 26 de Setembro decorreu a festa de homenagem a Maria Almira Medina no auditório do Museu Municipal da Figueira, conforme anunciado, antecipadamente, neste blogue.

A referida homenagem foi muito participada e teve início cerca das 16H00, estando o anfiteatro do Museu bem emoldurado com a presença de Tavaredenses, Figueirenses e Sintrenses que acompanharam a ilustre Tavaredense na sua deslocação à terra natal:

"Maria Almira Pedrosa Medina nasceu em Tavarede, Figueira da Foz a 29 de Agosto de 1920. Vive em Sintra desde os seis anos de idade. É licenciada em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e tem o Curso de Ciências Pedagógicas...É filha de António Medina Júnior (1898-1983), fundador do jornal de Sintra, bem como seu carismático director e proprietário, nascido na Figueira da Foz em Tavarede a 21 de Abril de 1898."- (extraído do opúsculo de homenagem).

Estiveram presentes na cerimónia a Drª. Ana Maria Caetano, presidente da Assembleia Geral da SIT, os representantes dos pelouros da Cultura da C^. Municipal de Sintra e Figueira da Foz, o presidente da Junta de freguesia de Tavarede e bem assim a presidente da SIT, Drª., Maria Clementina Reis Jorge da Silva.

Actuaram nesta cerimónia de homenagem o nóvel grupo de dança moderna da SIT, denominado,"Dance 4U, criado em Março de 2009 que é composto por 12 jovens que sob a orientação da coreógrafa, Elisabete Carvalho têm feito muito boas exibições.

A finalizar actuou o Coral, "Cantigas de Tavarede" que, ao cantar o seu último número, "O BRINDE", especialmente dedicado à homenageada, arrancou grandes aplausos da plateia, ficando Maria Almira Medina emocionada e com os olhos rasos de lágrimas não se cansando de agradecer tão bela como justa homenagem.

Parabéns, Maria Almira!



(Dance 4U)-clicar na foto