terça-feira, 20 de maio de 2014

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Votar com as tripas...

(...)"Nas eleições (europeias) de domingo, manifestação suprema do espírito europeu, a esmagadora maioria dos eleitores vai simplesmente abster-se por puro desinteresse. Os poucos que a tomam a sério irão votar não com a cabeça mas com as tripas." - César das Neves in DN.

Nada mais certo na afirmação do articulista que, apesar de tudo, pretende fazer o discurso laudatório de uma união europeia que tem sido para ricos e que está a falhar objectivos (como diz Helmut Schmidt) mas foge-lhe a verve para a verdade.
Obviamente que irão votar com as tripas e são precisamente aqueles que vão defender o "tacho" que o vão fazer, salvo, talvez, algumas raras excepções.

sábado, 17 de maio de 2014

Sem alma e grandeza



O antigo 1º ministro Guterres admitiu que há uma probabilidade, mesmo que mínima, de ser candidato presidencial
António Guterres abandonou o país no famoso "pântano" e foi para Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados. “O PS rejubilou e entala António Costa. José Lello diz no Expresso, que candidatura de Guterres “só pode animar um povo descrente e desanimado”, esquecendo-se que crente e desanimado já o povo estava quando Guterres virou as costas ao País.
Atolado em idêntico pântano, "Durão Barroso arrumou os papéis e voou para Bruxelas, à procura de recuperar lá o prestígio abananado cá dentro."Ambos abandonaram os seus cargos deixando o povo à sua sorte e, se a candidatura de Durão Barroso à Presidência, é uma hipótese acarinhada no seio do PSD, a pergunta que se faz é se algum deles, atendendo ao que fizeram, sem alma e grandeza,  merece, sequer, ser  candidato a PR. E, aqui, a porca torce mais uma vez o rabo.

Bem dizia Voltaire:"A política tem a sua fonte na perversidade e não na grandeza do espírito humano."

A frase do dia

"Este clima liberal é, mais propriamente, um clima “safado”. As pessoas, ou se safam ou não se safam. Os que se safam aparecem todos contentes a proclamarem-se safados. Os que não se safam não têm direito a nada." - Miguel Esteves Cardoso

terça-feira, 13 de maio de 2014

Duas ideias, a mesma conclusão

 "Partido político é um agrupamento de cidadãos para defesa abstracta de principios e elevação concreta de alguns cidadãos"- Drumond de Andrade

"Em política, a «honestidade» não conta nem como estratégia nem como índice para avaliação dos outros. Ser «honesto» em política actuante é ser parvo." - Vergílio Ferreira

Confrontando as afirmações acima, com as conhecidas práticas dos políticos domésticos que nos governaram nos últimos anos, só podemos concluir que a maioria deles de honestos não tem nada. E de parvos muito menos. Com efeito, parvos têm sido os portugueses que votam sempre nos mesmos, contribuindo deste modo  para a manutenção do sistema e a permanência dos seus contumazes algozes no poder.

Um dia especial




 

Uma data de aniversário (13 de Maio) que há muito tempo se comemora em comum e que desejo se repita por muitos mais anos.
QUE O DIA DE HOJE SEJA CHEIO DE LEMBRANÇAS FELIZES DO PASSADO E DE GRANDES ESPERANÇAS PARA O FUTURO - PARABÉNS!

 

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Mantendo a chama do convívio



 1º Convívio em 19 de Outubro de 2002

No próximo dia 11 de Maio (Domingo) realiza-se o 13º convívio dos ex-militares sobrevivos da C. Art.ª 87 na cidade da Figueira da Foz.

O primeiro convívio realizou-se no dia 19 de Outubro de 2002, 39 anos depois do seu regresso de Angola em 11 de Maio de 1963, graças à vontade e à carolice de um deles que conseguiu reuni-los na Figueira da Foz, que os vira partir dois anos antes, para aquela Província Ultramarina.

“Em 21 de Abril de 1961 foram 140 artilheiros do extinto RAP 3 que embarcaram no navio motor Niassa com destino a Angola, onde foram recebidos com grande euforia pela população que os aguardava na avenida marginal, pois dependia deles a segurança de pessoa s e bens. A guerra tinha começado poucos dias antes e já havia muitas vítimas e destruição a lamentar.
Depois foi o desbravar terreno até Quicabo, Icau, Ambriz e Úcua, retirando abatises, desobstruindo caminhos, protegendo populações e salvando o que ainda podia ser salvo naqueles itinerários de terror."

Contrariamente à sua especialidade os 140 artilheiros, actuaram no terreno, tal e qual a infantaria, em acções por regra só atribuída a companhias de caçadores, durante toda a sua comissão de serviço, cumprindo com uma missão para a qual não estavam preparados, sofrendo apenas duas baixas em combate, milagrosamente, pese embora a sua determinação e juventude que, em boa medida, lhes permitiram vencer as maiores dificuldades.

Vão fazer precisamente 51 anos no próximo Domingo dia 11 de Maio, que o contingente regressou à então Metrópole, com o sentimento do dever cumprido. E é para comemorar essa data que o reduzido grupo remanescente da C.Art.ª 87, se vai reunir, mais uma vez, num almoço de confraternização que servirá para recordar situações, algumas boas e outra de grande sacrifício, em que todos se mostraram unidos, o que deu origem a laços de amizade que jamais serão esquecidos.