sexta-feira, 19 de junho de 2009

A Nova Ordem Mundial


Diz-se que um dos objectivos da Nova Ordem Mundial " é a dissolução do conceito de soberania nacional e, por tabela, o fim do sentimento de patriotismo que liga o indivíduo à nação à qual pertence, sentimento este que não combina com os esforços actuais de se criar na mentalidade do homem moderno o senso de se pertencer a uma grande aldeia global. Mas, não é apenas isto: busca-se também uma forma mais efectiva de se exercer o controle e a dominação dos povos. Quanto mais fragmentada for a civilização mundial, geopoliticamente falando, tanto mais difícil se torna impor uma política de dominação global."

Se às Nações for retirado o seu poder de decisão o que acontece já em grande medida com o que se passa na União Europeia, a "nova ordem mundial", imporá sobre todas as regiões do Mundo (ou tentará impor ) um modelo sócio-político-económico que seja comum a todos. Há quem diga que este primeiro grande projecto começou com a tentativa da construção da torre de Babel, pós dilúvio. Afinal não foi sempre também, esse, o ancestral sonho dos grandes conquistadores dos quais se destacam, os Césares de Roma, Napoleão e, mais recentemente, Hitler? O Führer com a sua teoria nazi, quis impô-lo, durante um milénio, a ferro e fogo, sem êxito.

Hoje, com os novos meios de comunicação social (mídia), com a internet, que tornam possíveis, na hora, o conhecimento e, simultâneamente, as tomadas de decisão, esta intenção é perfeitamente exequível e os lobbies do poder e do capital são os que mais interesse têm que ela se concretize. O recente colapso económico-financeiro (há quem sustente premeditado) parece prová-lo. Parece estar atinente a este conceito da ideia da globalização ou da "Nova Ordem Mundial". Porém, não são ambos a mesma coisa. Diz, Martim Page, que foram os Portugueses os criadores de "A primeira Aldeia Global, no seu livro com o mesmo nome:"Quando Jonas foi engolido pelo "grande peixe"-Jonas cap.1:17, citação nossa-, tentava apenas escapar para Portugal. Foi aqui que Aníbal encontrou os guerreiros, as armas e o ouro que tornaram possível a sua marcha sobre Roma e Júlio César, a fortuna que lhe permitiu as conquistas da Gália e da Inglaterra...Após a conquista de Lisboa com a ajuda dos Normandos , o novo Portugal levou Veneza à bancarrota e tornou-se a Nação mais rica da Europa...Ensinaram a África a proteger-se contra a malária. Introduziram na Índia, o ensino superior, o caril e as chamuças e, no Japão, a tempera e as armas de fogo."

Concluindo: os Portugueses fizeram a expansão do conhecimento e do cristianismo; fizerem feitorias e comércio pelo mundo; respeitaram quase sempre a identidade e os costumes dos outros povos, mais que do que qualquer outra potência colonizadora. Neste sentido fomos os fundadores da "primeira aldeia global " ou os precursores da globalização. Porém , ao que tudo leva a crer, o que pretendem os mentores da "Nova Ordem Mundial", não é praticar o evangelho, não é respeitar a tradição ou os usos e costumes das Nações, mas tão somente a erradicação destes valores, para melhor imporem o primado dos impérios financeiros, sem preocupações de natureza social, religiosa ou moral, ou tê-las só, no exacto propósito de iludir e conseguirem o seu objectivo.

A " Nova Ordem Mundial" pode ser muito bem, o anti-cristo que se prepara de fauces escancaradas para engolir a civilização, tal como hoje a conhecemos, neste limiar do século XXI.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários serão publicados após análise do autor do blogue.